terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Simples....

Gostaram dos textos da Julia que publiquei ontem? ah! que bom... Cá está mais um...
Valeu linda Julia pela sua contribuição
Tudo é momentâneo. Passa rápido, voando.
Num piscar de olhos, o que era colorido pode ficar cinza-chumbo.
Em outro piscar, o que era escuro, pode fica claro, reluzente.
É desse jeitinho sim, oscilando.
É. Acostume-se.
Muitas vezes, não nos sentimos felizes por causa da teimosia, da insistência em querer que as coisas sejam exatamente como queremos.
E de quebra, ainda esperamos recheio de chocolate de sobremesa... Doce ilusão, isso sim.
O resultado é certeiro: decepção. E daquelas bem amargosas. Sabe por que, meu bem?
O ser humano é totalmente imperfeito, e sempre será.
O que faz a diferença é esperar menos, bem menos dos outros.
Ninguém pode ser responsável por nosso bem-estar. É algo individual.
Pode ser clichê, eu sei, mas é o que acredito.
Penso que felicidade de verdade é aquela sensação de se sentir em paz com o mundo, e mais ainda, com você.
Consciência tranqüila de quem, antes de tudo, teve uma conversa séria com o coração, entrou num consenso com a razão, e depois disso conseguiu agir certo. Ou pelo menos acreditando que sim.
Felicidade não fica de bobeira por aí a fora não. N-Ã-O. Ela encontra-se bem aqui, dentro de mim e de você.
Ela é um negocinho simples, sabia? Pode apostar...
Por isso, é bem possível que ela chegue disfarçada de simplicidade, podendo passar despercebida e, sem querer, ir embora. Sem ao menos enxergarmos o valor e a beleza que aquilo trazia.
Felicidade talvez seja isso, sutilidade.
Pequenezas abstratas, visíveis apenas por aqueles que sabem olhar. Além.

Julia

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo