sábado, 18 de junho de 2011

Só existe um lugar...

Revendo fotos e papéis ainda do meu tempo de solteira, encontrei este texto retirado de um jornal da minha terra ( Fortaleza) que alguém especial naquela época me ofereceu...
Leiam... É lindo

Ao me dar conta de que já se passaram tantos anos, desde a ultima vez em que estivemos verdadeiramente juntos, tenho me perguntado: Por que carregar ainda e com tanto cuidado todas essas lembranças amarratodas e descoloridas do tempo?
Quando se perde alguem muito querido é normal que, com o passar do tempo nos acostumemos a sua ausência. Tambem é normal transformar essa ausência em saudade, para curti-la na intimidade de uma solidão onde possamos chorar a falta que nos faça e é comum deixar que a saudade adormeça e so acorde nos retalhos de lembranças esporádicas, através da coincidência de momentos que marcaram uma vida a dois...
Peguei o hábito de ir dormir pensando em você, sonhar com você, acordar fazendo de você o meu primeiro pensamento e desejar, ao longo do dia, transformar o sonho de você em realidade.
Hábitos a gente não abandona assim, da noite para o dia. Peguei esse hábito já faz muito. Um hábito que, se por um lado alimenta a minha esperança, por outro, faço sofrer o meu espirito, a caminhar, dia após dia, pelas estradas da mesma solidão e com a mesma sensação de vazio.
Bem sei que é perda de tempo querer o impossivel mas, que diabos, para que servem os milagres?
Você transformou-se num lugar longe demais.
Tenho os pés feridos de tanto caminhar por essas areias escaldantes de um destino pouco amigo. Minhas mãos doem, de tanto apertá-las, contrito, nas orações de fé, procurando acreditar no advento de um dia melhor.
Procuro não confundir crença com teimosia, mas a linha que separa uma da outra ficou mais estreita. Pode até ser que venha a me arrepender por não haver procurado outras alternativas para ser feliz.
Talvez eu morra com a duvida de como teria sido a minha vida se, num instante qualquer desse desespero que já ficou comum, eu tivesse me decidido por outro caminho, voltando -me para outra direção. Essa duvida me tem feito cobranças a cada fim de tarde, quando junto a fantasia, o sonho e a esperança e numa roda, escuto canções que so falam de saudade, mas quando vou dormir, abraçado ao travesseiro de sempre, ainda prefiro a certeza de continuar seguindo a direção que me aponta um sentimento teimoso aqui dentro e um sonho que me mostra o desenho nítido de um rosto que um dia tive entre as mãos e escuto, a mim mesmo, chamar pelo teu nome.
A dor atraí a dor e a dor precisa da dor para que exista o conforto e, depois, o alívio dessa dor. Dói muito aceitar que pouco vá adiantar esperar por você e essa espera pode ser um erro. Mesmo sabendo que todo erro tem as suas consequências, eu não quero parar de sonhar. Quando, penso que já cheguei ao meu limite, aparece um motivo, pequeno que seja, para repensar e continuar acreditando que ainda existe um lugar para lhe manter viva, dentro de mim a saudade de sempre, onde você adormeceu quando os beijos eram muitos e os abraços eram fartos,
Nesse lugar você é eterna!
( autor: A. Capibaribe Neto )

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo